A expropriação do tempo -Robert Kurz

ensaios e textos libertários

Depois da ruína da utopia do trabalho, fracassa também a utopia do tempo livre nesta sociedade que transformou o ócio em consumo acelerado de mercadorias

Artigo escrito para a Folha de São Paulo

Os últimos anos viram nascer um volume espantoso de literatura sobre a categoria do tempo. Programas de rádio e peças teatrais, seminários acadêmicos e até mesmo talk shows se valem do tema; o tempo tornou-se, de certa forma, uma estrela da mídia.

Não é somente a teoria científica do tempo de um Stephen Hawking, físico “pop star”, que desperta interesse, mas sobretudo o componente cultural e social do conceito de tempo, cuja dinâmica explicita um profundo mal-estar da modernidade ao lidar com noções temporais. Esse problema, embora não seja novo, alcançou no final do século 20 uma nova dimensão. Tempo, como se sabe, é dinheiro; eis por que o tempo sempre cumpriu um papel decisivo no capitalismo…

Ver o post original 2.068 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s