DataFolha não traz novidades, apenas uma notícia ruim para Lula

Lula Dilma
Crédito da foto: http://www.tribunadainternet.com.br

Nem a leve recuperação de Dilma Rousseff, nem a rejeição de Lula, nem a (eventual) liderança de Aécio Neves no primeiro turno em 2018 e nem os 22% de Lula são novidades na Pesquisa DataFolha divulgada neste domingo.

Mas esses 22% já começam (ou deveriam começar) a incomodar Luiz Inácio Lula da Silva, isso se realmente ele vier a ser o candidato petista à sucessão de Dilma Rousseff em 2018.

E por que isso? Porque já há quatro pesquisas que ele estacionou nesse índice.

De cara isso quer dizer duas coisas:

– que Lula perdeu o fôlego eleitoral que sempre demonstrou;

– que ele ainda está longe dos históricos 30/32% de votos do PT.

Ao que tudo indica, seu carisma (que, aliás, é bastante grande) arrasta 22% dos votos históricos, mas não convence o restante do eleitorado do partido, mais lúcido e mais crítico.

E chegar aos 30/32% é crucial para o petista avançar e buscar uma nova eleição para a Presidência em segundo turno.

Dilma

A recuperação de Dilma (que um site petista tratou de dizer que se trata de uma reação do eleitorado, o que já está sendo fartamente “socializado” pela militância nas redes sociais) se deu exclusivamente no âmbito do petismo, portanto sem atingir a outra enorme parcela da população brasileira que somada chega a 65%.

Tratou-se de uma malandragem, de uma espertalhice, de uma desonestidade que não ajuda em nada; apenas cria uma ilusão junto àquelas pessoas já naturalmente propensas a aceitar todo tipo de ilusionismo.

Indefinições

De resto, a situação continua bastante indefinida.

Se Lula não sai do lugar, o mesmo acontece com Aécio e Marina.

Aécio, pelo contrário, até perdeu uns pontinhos (coisa de 2 p.p.), o que igualmente, como no caso de Lula, deveria acender uma luz vermelha na sua ansiedade em presidir do país.

Mas como estamos ainda muito distantes do pleito, o que fica é apenas uma coisa:

– para o bem ou para o mal, tanto oposição (no caso Aécio e Marina), como a situação (no caso Lula ou o PT como um todo) estão nas mãos de Dilma Rousseff.

Se Dilma fracassar (impichada ou não, pouco importa) melhor para a oposição (PSDB e Rede).

O contrário, melhor para a situação (PT).

Isso sem perder de vista que o futuro de Dilma está nas mãos do Congresso Nacional e do STF.

E assim entramos em 2016, que deverá ser um ano bastante casmurro.

Leia também:

http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/12/19/delegado-da-pf-submeteu-lula-a-um-interrogatorio-de-investigado-classico/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s