A ideologia e a ciência nazistas foram mais longe do que poderíamos supor

Nazismo
Crédito: portugalmundial.com

Não é difícil encontrar as bases da ideologia nazista no controle de trabalhadores em empresas (privadas e públicas) e nos mecanismos de repressão a grupos sociais pelo Estado.

Também se sabe, desde o fim da segunda guerra mundial, que cientistas do Terceiro Reich, capturados por forças aliadas, foram fundamentais no desenvolvimento da ciência e da tecnologia em países como Estados Unidos, Grã-Bretanha e na antiga União Soviética.

Mesmo que discretamente, países como Brasil e Argentina se beneficiaram do espólio nazista, nas áreas da medicina (controle da natalidade) e da agropecuária (combate às pragas da lavoura e inseminação artificial do gado).

E não são poucos os grandes laboratórios mundiais cuja produção atual se dá a partir  dos conhecimentos produzidos pelo Terceiro Reich.

É justo lembrar, no entanto, que em paralelo ao que pesquisavam e produziam os alemães, cientistas ocidentais, soviéticos, chineses e japoneses desenvolviam os mesmos esforços, muito embora estivessem anos-luz de distância dos nazistas.

No butim que se seguiu à derrocada do Terceiro Reich, o legado nazista era rico demais para ser desprezado.

Também é justo lembrar que mesmo sem o nazismo é bastante provável que a ciência e a tecnologia dos países mais avançados chegassem, mais cedo ou mais tarde, ao ponto em que o conhecimento humano se encontra neste momento.

Dos impactos

O que se coloca desde sempre para cientistas e pesquisadores é se há ou não neutralidade na produção científica.

Trata-se de um campo espinhoso para que possamos trilhá-lo sem nos arranharmos e sem cometermos injustiças.

A nós não cientistas (e com a ajuda inestimável de cientistas e pesquisadores) cabe mantermos uma vigilância permanente da ciência e da tecnologia para que estas não transformem a Terra, a humanidade e o meio ambiente em simples campos de provas e de experimentos.

Do documentário

O canal britânico Discovery, em parceria com a BBC, realizou um documentário bastante interessante que examina os arquivos secretos nazistas, mas que apenas neste século foram descobertos.

O documentário Nazi Secret Files  também está disponível no Netflix.

Leia um trecho da sinopse:

Nazi Secret Files examines newly-discovered secret files that reveal groundbreaking accounts of Hitler and those close to him during the Nazi reign.

The series starts by exposing the huge drugs program that fueled the Nazi war machine. Led by Hitler, himself possessed by narcotics, the German troops consumed tens of millions of crystal meth tablets while at war. It then goes on to disclose new evidence proving the Nazis were colluding with experts on germ warfare.

Despite Hitler famously declaring he was against biological weapons, they had a deadly plan to launch a disease attack on
the Allies that could have even changed the course of the Second World War. It finally concludes with the question – how
did an unremarkable drifter from Vienna instigate the most devastating military conflict in the history of the world?

Nazi Secret Files reveals the incredible story of mass hysteria, bizarre beliefs and dangerous delusions that ended with a religious war of devastating proportions.”

Das buscas

O longo documentário, ainda inconcluso, divide-se, por enquanto, em seis capítulos de mais ou menos 40 minutos cada, e vai da neurose higiênica de Hitler e de sua aversão à guerra bacteriológica, passando pelo controle de natalidade, manipulação genética, desenvolvimento de pragas agrícolas e de estimulantes químicos para os soldados, controle do espaço e dos raios solares.

Trata-se de um achado que merece ser visto e acompanhado na sua continuação futura, mesmo se considerando as manipulações presentes no documentário, como, por exemplo, do “esquecimento” da fundamental participação de soviéticos e da resistência europeia na queda do regime nazista.

Outras leituras

A Ciência e o Nazismo: Polêmica

A fuga de cérebros da Alemanha nazista — Ciência Hoje

Ciência nazista – Livraria Cultura

Experiências Nazistas

Projeto investiga intercâmbio científico entre Brasil e Alemanha nazista

Um comentário sobre “A ideologia e a ciência nazistas foram mais longe do que poderíamos supor

  1. Lendo a proposta de livro de um colega meu sobre história da ciência, me parece que um dos pontos onde a ciência abre espaço para a ideologia dos seus operadores é na formulação das hipóteses. Porque mesmo que os procedimentos de pesquisa, validação e falseabilidade sejam objetivos a parte da formulação de hipóteses é subjetiva. E a resposta que você têm é consequência da pergunta que foi feita.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s