Prisão de Eduardo Suplicy é a imagem mais forte da destruição o PT

Suplicy

Se alguém ainda precisasse de uma prova de que Partido dos Trabalhadores (PT) está destruído não necessita mais: quatro soldados da PM paulista arrastando o ex-senador Eduardo Suplicy rumo a um camburão é uma imagem forte demais para que se tenha, ainda, qualquer dúvida.

Partido de imagens fortes e marcantes, muita delas mentirosas e outras tantas forjadas, mas, na maioria, autênticas, a imagem final do PT, capaz de suplantar a de hoje, apenas será a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva, quando e se isso ocorrer algum dia.

Há quem acredite, entre eles este breve escritor, que isso se dará neste ano da graça do senhor de 2016.

Suplicy sempre foi uma cara “maneiro” (como se dizia quando ele era adolescente) e “boa praça” (como se dizia quando os seus pais eram adolescentes).

Sujeito de fino trato, bem nascido, educado, burguês, de família tradicional, paulista quatrocentão.

Petista por gosto (não creio que por convicção) e não por necessidade, como é o caso da maioria dos petistas, especialmente desse exíguo grupo de sobrou.

Suplicy sempre foi um cara corajoso. Não porque tenha lutado boxe (amador) ou tenha corrido a São Silvestre ou tenha assassinado Bob Dylan diversas vezes em palcos diversos.

Ferrenho defensor dos direitos humanos e líder de um sem-número de programas inclusivos, Suplicy sempre foi um perigo para a burguesia da qual veio, um atrapalho para os seus, uma inconveniência difícil de lidar.

O terror causado pela imagem desconectada (origem burguesa x militância popular) de Eduardo Suplicy se mede pela dureza do achincalhe, da agressão, dos xingamento dos quais sempre foi vitima: “maluco”, “doido”, “lunático”, “imbecil”, “aluado”, “alucinado”, “doidão”.

Poucas coisas nos humilham mais do que sermos associados à alienação mental.

Essas agressões, no entanto, eram, também, um anteparo a qualquer tentativa para dispensar a Eduardo Suplicy a mesma brutalidade dispensada pela polícia aos seres comuns, dos outros grupos sociais.

A derrota de Suplicy para Serra (Senado) em 2014 já foi uma antevisão daquilo que viria acontecer com ex-senador hoje e a prisão de hoje é o selo que faltava para lacrar o caixão do Partido dos Trabalhadores. Ato final será a prisão de Lula.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s